Claudio Zin (MAIE) Cidadania italiana: “Emenda PD retirada. Vencemos esta batalha, mas não será a última.”

316

Poucas horas após o anúncio do Senador Micheloni (PD) da apresentação das suas alterações à lei de orçamento que teriam um impacto negativo sobre os direitos dos descendentes de italianos que vivem no exterior, a comunidade italiana que vive na América do Sul se mobilizou, através da a plataforma on-line change.org, para coletar assinaturas e expressar uma clara oposição a esta iniciativa parlamentar.

O Sen. Claudio Zin (MAIE), após uma conversa com o presidente da Comissão Tonini, e com o líder do seu grupo político MAIE, emitiu esta declaração:”Embora as mais de 6.000 assinaturas coletadas dentro de algumas horas não tenham valor legal em nosso sistema parlamentar, como senador do MAIE, o único movimento político cultural nascido no exterior que defende os direitos dos italianos que vivem no mundo e seus descendentes, eu havia depositado na Quinta Comissão, com a intenção de chamar a atenção de meus colegas senadores da vontade expressada pela comunidade que eu tenho a honra de representar! ”

“Depois de uma noite de trabalhos, no amanhecer de hoje, às 4h45, na V Comissão de Orçamento do Senado, o Sen. Claudio Micheloni – graças a este trabalho de convicção e à grande mobilização de todos os oriundi na grande rede – foi forçado a retirar suas duas emendas à Lei do Orçamento de 2018, com as quais ele queria aumentar o imposto sobre questões de cidadania e estabelecer um limite para o reconhecimento deste direito para os descendentes de italianos apenas até a segunda geração. As emendas em questão – explicou o senador Claudio Zin – criaram uma confusão infame, uma vez que os argumentos tratados não apresentaram homogeneidade com o texto do estatuto do orçamento do estado na Comissão.

Não é uma questão de pouca importância, se você pensa no sentimento de indiferença e, infelizmente, também de intolerância, expressa pelo governo PD em relação aos nossos pedidos em defesa de (poucos) direitos dos italianos no exterior “.O PD e os quatro eleitos no exterior que assinaram a emenda quase conseguiram confundir os cidadãos residentes no exterior ao fazer concentrar sua atenção em questões inconsistentes e irrealistas, apenas para distrair a opinião pública e desviar o foco das nossas necessidades reais, que são: O AUMENTO DOS RECURSOS DESTINADOS À REDE DIPLOMÁTICA-CONSOLAR PARA MELHORAR OS SERVIÇOS E PROMOVER LÍNGUA E CULTURA, entre outras coisas.

Temos que ter muito cuidado por dois motivos: primeiro porque 4 dos 5 senadores eleitos no exterior estão sendo orientados para limitar a transmissão da cidadania e aumentar a taxa que eles mesmos criaram; em segundo lugar, porque certamente a maioria deles poderá ser reeleita e continuar no parlamento nessa direção, na próxima legislatura “.